Como a sua vida, a de Jesus Cristo e do Buda se conectam?

Jesus Cristo falou de amor. Buda se iluminou. Um foi crucificado, ou outro meditando, ali parado. Há que se entender que o amor por si mesmo passa por uma fase de descoberta interior. É dor, é revelação. Nesse momento, sem certeza do futuro, a gente se encontra batendo a cabeça naquilo que é vivido. Estamos nós no presente, ausentes de nós mesmos?

Toda escuridão leva à ascensão. Não é preciso entender o que se passa no momento, a pura aceitação já é um baita aprendizado. Estar a comparar Jesus e Buda em seus caminhos é ver dois seres que não foram nada comuns.E ser comum no mundo atual (ou mesmo em épocas antigas) é realmente não se sentir bem consigo mesmo… Porque é preciso se desorientar. Sentir-se perdido para poder se encontrar.

Quem construiu tudo, pode tudo esquecer. Quem um mundo percorreu, pode deixar este mundo, de viagens externas e beber do silêncio, do próprio autoconhecimento. Nada é retilíneo, certeiro. Não tem pontos a serem somados, em cada alvo do quadro. Sejamos nós, aquilo que nossa essência tanto nos clama.

Por mais que na batalha se vença um ou mais inimigos, a vitória sobre si mesmo é a maior de todas as vitórias. – Buda

De que serve ao homem conquistar o mundo inteiro se perder a alma?- Jesus Cristo

Grandes líderes espirituais apresentam a nós, meros humanos terráqueos, a probabilidade da felicidade no encontro consigo mesmo. Esse encontro é feito de sentimentos de gratidão, paz, libertação e transcendência.

Na oportunidade de nos vermos conectados, uns aos outros, e por sabermos que tudo material – aqui integrado – se não é vivo, não é mantido. Não se mantêm apartamentos, patrimônios, aplicações após morte. Estes ficam como parte de uma divisão para as novas gerações. E que muito provavelmente, causarão brigas.

Já, o que é vivo, energético, vindo do alimento vivo, orgânico, dos animais que convivemos, do amor e da energia emanado entre nós é que se perpetua. Ao vento, nas memórias.

E memórias, sejam boas ou ruins. Ações, sejam boas ou ruins, todas trarão a energia do movimento para a vida viva que se segue. É preciso entender que a física quântica surgiu após os ensinamentos de grandes mestres. A ciência vem trazendo à tona a oportunidade de entendermos aquilo que não vemos.

Energia é vida.

Tudo é possível àquele que crê. – Jesus Cristo

Todas as manhãs nós nascemos de novo. O que fazemos hoje é o que mais importa. – Buda

Não é por negar uma ação negativa, que ela não trará energia e vida. É preciso entender que o modo como vivemos apresenta uma conexão com o todo, para além do que nós mesmos entendemos “de todo”.

Um universo amplo, um espectro e prisma novos, são encontrados por meio da visão eco-interligada. Podemos renascer todos os dias de nossas vidas, para outras e novas vidas.

Nossas ações criam energia sob aquilo que vivemos no momento. Seremos, daqui uns 10 anos, outra energia vívida diferente daquela que vivemos hoje. Somos construção e reconstrução de nós mesmos. Todos os dias.

Que saibamos que o invisível é bem próximo do coração. Que o nosso mundo visível é um pedaço daquele todo inexplicável. Veja só o universo e as galáxias. Não a enxergamos a olho nu, e lá estão. A criar e morrer todos os dias.

Que grandes mestres possam apenas nos nortear no nosso caminho desenhado, criado, vivido, pela nossa energia, vibração (ação). E que seja qual for seu caminho, vindo de dentro e da sua energia invisível, é puramente seu e meu. Porque estamos todos conectados.

Seja você aquilo que nem você – em mente – espera.
Viva tão intensamente a sua essência que de ti brota, germina.
Rega-te.
© obvious: http://obviousmag.org/e_a_vida_o_que_e_diga_la_meu_irmao/2017/sua-vida-jesus-cristo-buda.html#ixzz4hu5C2B8d

Julia Scheibel

Mestre em Comunicação com ênfase em Com. Organizacional. Possui MBA em Gestão da comunicação nas Organizações e graduação em Propaganda e Marketing pela Universidade Paulista (2003) com certificado de honra ao mérito pelo projeto Experimental RANTEC - Tecnologia em Ranicultura. Atuou nas áreas de comunicação das instituições públicas: Ministério da Educação, na Secretaria de Ensino Médio e Tecnológico pelo Programa PNUD, na Assessoria de Comunicação do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e no Ministério da Cultura. Há 10 anos no Sistema Indústria, iniciou na Gerência de Relações Públicas em organização de eventos de grande porte, gestão de softwares e projetos de relacionamento e hoje atua na gestão orçamentária, planos de ações, pareceres sobre pesquisas e gestão da comunicação da Diretoria de Comunicação do Sistema Indústria - CNI, SESI, SENAI. Atua também, como atendimento às entidade, na gestão e coordenação das apresentações diferenciadas dos Diretores e Presidência do Sistema Indústria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *