Humanos mundanos

Eu temo que um dia, a rotina, engula o amor.
Que posso, eu, fazer.. em torno do tonto
adorno da vida, sugerida na vontade
de se fazer ter ao invés de ser?

Homens, mulheres, mundanos na essência infinita
de se fazer presente em palavras de Deus
Em se encontrar em templos, igrejas e encontros
Fortalecendo laços de amizade, de elo e do virtuoso.

Mas logo que o abraço passa,
Que o amém é ecoado
Encontro vazios atos
Enlaçados no entorno
De posses, passos,
fartos!
Fartos de alimento
terreno
Incompleto
Sentimento
Entre o dito e o ato
Entre o momento exato
De reverência e de essência
Pobres humanos

mundanos

Julia Scheibel

Mestre em Comunicação com ênfase em Com. Organizacional. Possui MBA em Gestão da comunicação nas Organizações e graduação em Propaganda e Marketing pela Universidade Paulista (2003) com certificado de honra ao mérito pelo projeto Experimental RANTEC - Tecnologia em Ranicultura. Atuou nas áreas de comunicação das instituições públicas: Ministério da Educação, na Secretaria de Ensino Médio e Tecnológico pelo Programa PNUD, na Assessoria de Comunicação do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão e no Ministério da Cultura. Há 10 anos no Sistema Indústria, iniciou na Gerência de Relações Públicas em organização de eventos de grande porte, gestão de softwares e projetos de relacionamento e hoje atua na gestão orçamentária, planos de ações, pareceres sobre pesquisas e gestão da comunicação da Diretoria de Comunicação do Sistema Indústria - CNI, SESI, SENAI. Atua também, como atendimento às entidade, na gestão e coordenação das apresentações diferenciadas dos Diretores e Presidência do Sistema Indústria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *